Lombardi

Luiz Lombardi Netto nasceu no bairro do Bixiga, em São Paulo, em 22 de setembro de 1940. Desde pequeno, sempre gostou de comunicação e de usar sua voz. Uma vez, durante uma partida de futebol, Lombardi montou um sistema de som na rua de casa e ficou escondido atrás de um muro, narrando o jogo na sua cabeça. As pessoas que ali passavam acreditavam que se tratava da transmissão real.

A carreira profissional começou em 1958, aos 18 anos, logo após o Brasil ter conquistado o primeiro titulo mundial de futebol. Foi contratado pela Rádio Bandeirantes e fazia parte de uma equipe esportiva formada por Édson Leite, Haroldo Fernandes, Mário Moraes, Fernando Solera, Comendador Mauro Pinheiro, entre outros. Seu “padrinho” de rádio foi o locutor Fiori Giglioti.

Algum tempo depois, Lombardi foi trabalhar na TV Paulista, atual TV Globo. Lá, era locutor de cabine do período noturno e comandava uma equipe de 8 locutores. Entre os anúncios que fazia na época, estão a novela “Véu de Noiva”, “Verão Vermelho”, e até “Jornal Nacional”.

PARCERIA COM SILVIO

Em 1968, Silvio Santos estava contratando pessoas para fazer parte de sua equipe e precisava de um locutor que “não falasse baixo e nem fosse romântico demais”. Lombardi, que não tinha experiência nenhuma de locução em palco, foi o último locutor a ser testado por Silvio Santos. E foi aprovado.

Seu primeiro programa ao lado do animador foi “Só Compra Quem Tem” e na época, Silvio disse: “Lombardi, vou fazer de você o locutor mais famoso do Brasil. Vou mostrar seu braço, sua mão, mas nunca mostrar seu rosto. Vou brincar com o imaginário dos telespectadores”.

“A curiosidade mata!” – brincava, se referindo ao fato de que o segredo do seu sucesso era esse mistério. As pessoas sempre tentavam imaginar como ele era. Sobre sua voz, Lombardi sempre a considerou como um “dom divino”, um talento próprio. Sua imagem, apesar de não ser a de um galã, sempre foi formada por roupas bem alinhadas, elegantes, cabelos pintados, óculos escuros. Uma pessoa vaidosa que sempre se preocupou com sua aparência.

Pouca gente sabe, mas nunca houve uma cláusula real de contrato para que Lombardi não aparecesse. Era apenas um acordo de “palavra”, mas que era o mais importante para manter o mito. Lombardi chegou a gravar alguns discos, com Salmos da Bíblia, A História de Jesus de Nazaré e Provérbios da Bíblia.

Apesar de raramente ser fotografado para revistas e muito menos ter aparecido na TV, no Carnaval 2001, no Rio de Janeiro, durante o desfile da Tradição, onde Silvio Santos foi homenageado, Lombardi foi entrevistado pela Rede Globo, ao vivo, sem nenhuma “proteção”.

Lombardi faleceu no dia 2 de dezembro de 2009, vitima de ataque cardíaco.

Acima-Esquerda: Lombardi.
Acima-Centro: Lombardi e Roberto Carlos.
Acima-Direita: Gugu e Lombardi. Fotos: João B. da Silva. Divulgação. SBT.
Meio-Direita: Lombardi e Silvio. Foto: João B. da Silva.
Abaixo-Esquerda: Jackeline Petkovic e Lombardi. Foto: João B. da Silva. Divulgação. SBT.
Abaixo-Direita: Lombardi e Silvio Santos. Foto: João B. da Silva. Divulgação. SBT.